Atenção: Giro solidário é crime e pode dar 8 anos de prisão

Compartilhe

A sua divulgação para convite no Facebook,Whatsapp ou outro meio, já pode caracterizar crime. A pessoa lesada pode acionar a polícia com prints de tela do celular como provas.

Uma nova modalidade de atrair pessoas para ganhos financeiros imediatos, tem ocorrido em todo o país. O ” Ajuda Mútua ou Giro solidário “, promete aos participantes ganhos de até mil reais. No entanto, assim como a já conhecida pirâmide e outras formas similares, caracteriza crime previsto no código penal.

O “Giro Solidário” funciona no modelo de “mandala”, que necessita do recrutamento frequente de novos membros em um grupo de Whatsapp. O convite é atraente e assegura que se o participante investir R$125, ele terá R$ 1.000 de retorno. O delegado regional de Cuiabá, Cley Celestino Batista, orienta que os participantes podem ser condenados em até oito anos de reclusão pelo crime de estelionato.

“A pessoa que for convidada a participar de algum grupo atualmente conhecido como ajuda mútua, deve pesquisar antes. Seja na internet, com parentes ou até na delegacia. É sempre bom que esses ‘investimentos’ não sejam depositados na conta de um desconhecido”, afirma.

“Muitas das pessoas que aplicam o dinheiro caem no golpe acreditando que terão um retorno rápido. O ‘investimento’ é pouco, e o retorno chega a ser cerca de dez vezes mais. Nestas circunstâncias a pessoa nada mais é que uma vitima de um estelionatário que geralmente recebe o dinheiro dos novos membros”, explica.

Cley ainda ressalta que se a pessoa sabe que está pratica é ilícita e criar esquemas para lucrar, ela poderá ser investigada e caso se confirme a suspeita, ela poderá responder pelo crime de estelionato, sendo condenada em até oito anos de reclusão. “Caso alguém se sinta lesado é necessário que a pessoa vá até uma delegacia registrar queixa para que haja uma investigação”, conclui.

Em Campo Mourão no Paraná , dezenas de pessoas já foram ouvidas e respondem pelo crime.

Fonte: bocanotromboneitaguai.com

Comentários no Facebook

Entre em contato com o Portal MN
Enviar mensagem
Close